skip to Main Content
Mariane Fontes MD | Câncer De Rim
Câncer de Rim

O câncer de rim é o terceiro tumor mais frequentes do sistema urinário e representa entre 3 e 4% de todas neoplasias malignas no mundo. O tipo mais comum é o carcinoma de células renais, representando em torno de 80-85% dos cânceres renais. Além do câncer originado primariamente das células renais, nódulos no rim também podem ser metástases de tumores originados em órgãos distantes, como mama, pele e bexiga.

Os tumores começam a se formar após algumas mutações no DNA das células renais, levando a um crescimento anormal e desordenado das células, formando então massas tumorais. Esta neoplasia é mais frequente em homens entre a sexta e oitava década de vida. Entre os fatores de risco destacam-se idade avançada, tabagismo, hipertensão, obesidade, doença cística dos rins, uso e exposição de determinadas substâncias, bem como histórico familiar de câncer renal.

Os sintomas do câncer de rim são variados, e comumente só surgem em vigência de doença avançada. Portanto a maioria dos pacientes é assintomática ao diagnóstico. As manifestações clássicas são hematúria (sangue na urina), dor em flanco e massa abdominal palpável, porém a tríade só é encontrada em aproximadamente 9% dos pacientes. Além disso, o paciente também pode apresentar perda de peso, alterações urinárias, anemia, febre e demais sintomas sistêmicos como alterações no fígado, hipertensão arterial e problemas hormonais. As alterações hormonais ocasionadas pelo tumor são chamadas de síndrome paraneoplásica, cujas manifestações clínicas estão diretamente relacionadas ao tipo de hormônio produzido.

O diagnóstico inclui uma série de exames, que podem ser necessários para comprovar a hipótese de tumor renal. São utilizados métodos de imagem como ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética, além de exames de sangue, urina e também biópsia ou cirurgia. O método utilizado dependerá de cada caso, variando de acordo com o tipo, extensão e localização do tumor.

Compartilhar