skip to Main Content
Mariane Fontes MD | Imunoterapia
Imunoterapia

A imunoterapia apresenta-se atualmente como uma das mais promissoras ferramentas no combate ao câncer. Essa nova tecnologia de medicamento tem como objetivo potencializar a ação do sistema imunológico, permitindo dessa forma que haja maior resposta contra agentes exógenos e células defeituosas, como nos casos dos tumores.

As imunoterapias agem de diferentes maneiras, sendo que o principal mecanismo atua nos chamados inibidores de pontos de verificação imunológicos (inibidores de checkpoint). Basicamente, os pontos de verificação regulam quando uma célula está apta a se multiplicar ou quando deve ser destruída. As células cancerígenas atuam inibindo essa resposta de verificação, o que permite sua intensa multiplicação sem destruição por parte do sistema imunológico. Com a ação dessas drogas, essa inibição é cancelada e as células de defesa passam a reconhecer as falhas das células tumorais, destruindo-as.

Apesar de a imunoterapia mostrar resultados promissores com diferentes tipos de tumor, principalmente nos casos de melanoma, linfoma de Hodgkin, câncer de pulmão, bexiga, rim, cabeça e pescoço, essa terapia ainda representa uma opção para apenas 20% dos pacientes em tratamento oncológico. Além da sua restrição a apenas alguns tipos tumorais, outra desvantagem é seu alto custo, muito acima do esperado quando comparado a terapias convencionais já existentes no mercado.

Compartilhar